sexta-feira, 25 de junho de 2010

Hino de Nova Olinda do Maranhão (Não oficializado)

HINO DE NOVA OLINDA DO MARANHÃO (Não Oficializado)
Por: Antonio d Conceição Monteiro
AC Monteiro - Poeta Popular

Letra, música e documentário popular


Letra do Hino

Em pleno verde ao esplendor celeste
Solo fértil, brava gente descobriu
Às margens do riacho Santo Antonio
Teu risonho, lindo céu de encantos mil;
Junto aos nativos, grupos imigrantes
Relutante, povo forte reuniu
És por méritos dos heróis dentre essa gente
Independente, Nova Olinda, mãe gentil.


Viva ainda a liberdade!
Que merece nossa gente;
Nova Olinda independente,
O novo dia já raiou.


Lindas paisagens, flores, verdes montes,
O horizonte, lá distante a deslumbrar
A oeste maranhense Nova Olinda
Tens ainda, um patrimônio a preservar,
Desfrutando ao calor do sol luzente
Das vertentes, dos recursos naturais
Mas de forma sustentável fauna e flora
Cuidando agora, das questões ambientais.


Livre sem rivalidade!
Vivas tu, perante a Deus;
Nova Olinda os filhos teus,
Em unidade, paz e amor.



O verde grande simbolo que retrata
Nossas matas nos comove ao contemplar
Nas cores do estandarte a cada instante
O deslumbrante azul do céu nos faz lembrar
O branco desta paz que prevalece
Resplandece, ao brilho da luz natural
O amarelo neste solo cultivado
É conseguido a tua lavoura principal.

Viva ainda a liberdade!
Que merece nossa gente;
Nova Olinda independente,
O novo dia já raiou.



Tens na diversidade da cultura
A mistura, lá dos nossos ancestrais
Agricultura e pesca imprescindiveis
Nas crendices, do folclore os rituais
Que a escola seja simbolo de esperança
Da criança e nosso povo mais feliz
No esporte crescerá com mais virtudes
Tua juventude, a prosperar neste país.

Livre sem rivalidade!
Vivas tu, perante a Deus;
Nova Olinda os filhos teus,
Em unidade, paz e amor.



Documentário da letra do Hino de Nova Olinda

Estrofe 1 - Ressalta a proeza de um povo humilde e desbravador de selvas, retrata a miscigenação e relutância pela criação do município.


Refrão 1 - Demonstra o regozijo e gratidão pelo novo tempo de liberdade após a independência de nossa gente.

Estrofe 2- Descreve a paisagem, localização, utilização dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente.

Refrão 2- Revela o desejo de liberdade, paz, harmonia e amor fraterno entre todos os moradores de nossa comunidade.

Estrofe 3 - Refere-se as cores de nossa bandeira, relativas ao firmamento, à paz e o arroz principa produto agrícola de nossa economia.

Estrofe 4- Faz referência a herança cultural dos nossos antepassados e o progresso através de educação e esportes aos nossos jovens.


Está disponivel nos arquivos da Rádio Ieshuá FM a versão gravada do Hino de Nova Olinda do Maranhão, nas vozes dos cantores locais Eliane Coelho, Lene Silva e Izar Nascimento.
Arranjo de Zé do Violão, Edilson Andrade e Carlinhos dos Teclados
Tecnico de Audição:Ariel Play e Chagas Roots.
Direção: AC Monteiro


AUTOR DO HINO
Biografia Autorizada


Antonio da Conceição Monteiro ou AC Monteiro, nasceu no dia 06 de janeiro de 1954 no município de Poção de Pedras - Ma, filho de Tomé Jacinto da Silva e Isidoria Monteiro da Silva. No ano seguinte mudara-se para o municipio de Vitorino Freire, onde crescendo iniciou seus estudos e passou maior parte de sua infância e adolescência. No ano de 1970 aos 16 anos de idade, mudou-se para o povoado de Brejo de Areia, sendo este ainda município de Altamira do Maranhão; e ali, prosseguiu seus estudos e trabalhando como balconista numa loja de tecidos e confecções daquela localidade. Foi nessa época que AC Monteiro descobriu o dom de fazer músicas e poesias. Em 1973, aos 19 anos viajou para a cidade de Santarém no Pará, onde trabalhou um ano como auxiliar de escritório numa empresa estatal.

No ano de 1974, partiu para a cidade de Manaus -AM, lá ele teve a chance de trabalhar numa grande livraria, então AC Monteiro ganhou um novo ânimo para a literatura, junto com a vocação que sempre teve pelas artes de escrever e compor. No ano de 1976 retornou ao Maranhão e dois anos depois casou-se com a jovem Maria dos Santos Monteiro, logo depois ingressou num curso tecnico-odontológico, tornando-se protético dentário e trabalhou por dez anos nessa profissão. AC Monteiro chegou em Nova Olinda do Maranhão em março do ano de 1981, em 1982 foi ao garimpo de Serra Pelada; e de volta mudou-se para Zé Doca em 1984, sempre trabalhando em serviços dentários. No ano de 1985 escreveu seu primeiro livro de poesias, intitulado "Vida e Morte de Tancredo Neves", surgindo então o Poeta AC Monteiro. Depois, ainda como dentista trabalhou nos garimpos de Serrinha, Umbizal e Chega Tudo, todos no Maranhão. Não sendo bem sucedido, retornou à Nova Olinda, já nos anos 90, onde recomeçou a estudar e ingressou no cursos Técnico de Contabilidade no Centro Educacional João Paulo I e posteriormente concluiu o curso de Habilitação ao Magistério no Colégio Senador Alexandre Costa. No ano de 2001, ingressou no serviço público municipal, como supervisor escolar e responsável pela biblioteca municipal. No ano de 2002, lançou seu segundo livro de poesias "A importância do professor na sociedade", em 2004 escreve a terceira obra "O preço de uma vacilo sexual". AC Monteiro também é compositor e participou de alguns festivais com músicas de sua autoria, é autor do Hino de Nova Olinda do Maranhão, que aguarda aprovação pelo poder legislativo e executivo.

Edição: Cícero Ferraz

Nenhum comentário:

Postar um comentário